A minha história


A vida encarrega-se de nos encaminhar para o que faz parte da nossa essência, vai-nos colocando dia após dia, os desafios, os obstáculos, as alegrias e as dúvidas daquilo que pode ser a nossa existência aqui. E nós vamos crescendo, aprendendo e definindo o que faz bater o nosso coração.

Quando era bebé o meu guardião, anjo da guarda, era um boxer que diariamente cumpria a sua missão ao me proteger e ajudar a ligar-me à minha essência.

E assim iniciei a minha jornada, sem imaginar o que a vida me reservaria.

Ter como melhor amigo um cão, passar tardes de verão no jardim na sua companhia e juntos partilharmos histórias e momentos que ficam na eternidade. Este é um processo nada fácil, mas acima de tudo mágico e com muito significado.

Saber, sem saber é uma das expressões que melhor descreve esta jornada/aprendizagem.

Eles dizem-nos tanto, um olhar profundo, um abanar de cauda ou mesmo uma expressão que toca no coração, na alma, de uma forma singular.

Se me perguntarem, se sempre tive esta capacidade de comunicar, agora posso dizer que sim. Mas foram precisos muitos anos, várias experiências e alguns animais que passaram pela minha vida para a compreender.

O ser que me fez dar o salto, ir para além desta barreira física, foi o Rafa, um cão sem raça definida mas com uma essência para lá de infinita.

Um ser grandioso, calmo, paciente que me acompanhou durante um período controverso.

E foi ele com o seu jeito meigo que me transmitia muitas vezes, as ideias que me vinham á cabeça. Mas, foi apenas nos seus últimos anos de vida que esta forma de comunicar se intensificou e que compreendi com a força do coração a grandeza destes seres.

 E foi ele que me comunicou:

Que o seu fim estava próximo.

Que esperava até eu estar pronta

Que não se importava de partir, que tinha cumprido a missão a que se tinha proposto.

E ao partir deixou comigo este legado, que me acompanhava desde pequena mas que agora se tornava real a cada dia que passava. Após isto decidi que iria apostar em tudo o que estivesse ao meu alcance, para mostrar, mudar a forma como os animais são vistos e muitas vezes categorizados de seres inferiores porque simplesmente não compreendemos a sua diferença.

A comunicação ultrapassa barreiras e é feita com o coração, não existe julgamento apenas interajuda e é sempre elevada, acima do amor incondicional e para o bem supremo do animal.

 

Comunicar é um acto de amor

Comunicar é dizer: Eu sou tu

Comunicar é dizer: Somos todos Um

 

 

 

Comunicar . Cuidar . Amar

Joana Rebelo Oliveira